.

.

05 agosto 2015

O espelho


Oi Mochileiros,

Tudo bem ?

Fiz um post aqui no blog um tempo atrás sobre o livro " Histórias para aquecer o coração dos adolescentes "(link), no qual falo sobre o livro e trago um dos textos da coletânea dele, relendo o livro esses dias, decidi compartilhar mais um dos textos.

O espelho

- Dr. Papaderos, qual significado da vida?
Seguiu - se a risada habitual e as pessoas se mexeram nas cadeiras, querendo ir embora.
Papaderos levantou a mão, silenciado a sala, e me olhou por um longo tempo, perguntando com os olhos se eu estava falando sério e vendo nos meus que eu estava.
- Vou responder à sua pergunta.
 Ele tirou a carteira do bolso da calça. pós a mão dentro da divisória de couro e pegou um espelho redondo bem pequeno, mais ou menos do tamanho de uma moeda de vinte e cinco centavos.
Disse então o seguinte:
- Quando eu era pequeno, durante a guerra, éramos muito pobres e vivíamos em um vilarejo distante. Certo dia, na estrada, encontrei os pedaços partido de um espelho. Uma motocicleta alemã tinha se acidentado naquele lugar.
- Tentei encontrar todos os pedaços e juntá-los, mas não era possível. Então guardei só o pedaço maior. Este aqui, que esfreguei em uma pedra, fazendo-o ficar redondo. Comecei a brincar com ele e fiquei fascinado ao descobrir que podia refletir a luz em lugares escuros, onde o sol nunca brilhava; em buracos profundos, fenda e armários. Aquilo virou um jogo para mim, levar luz aos lugares mais inacessíveis que conseguia encontrar.
- Guardei o espelhinho e, à medida que ia crescendo, eu o tirava do bolso nos momentos em que não estava fazendo nada e continuava com desafio do jogo. Quando virei homem, comecei a entender que aquilo não era só brincadeira de criança, mas uma metáfora para o que eu poderia fazer com minha vida. Acabei percebendo que não sou a luz ou a fonte de luz. Porque a luz - a verdade, a compreensão, o conhecimento - está ali e vai iluminar muitos lugares escuros se eu a refletir.
- Eu sou apenas o fragmento de um espelho do qual não conheço a forma nem toda finalidade. Mesmo assim, com o que tenho, posso refletir a luz nos lugares escuros deste mundo, sobretudo nos corações dos seres humanos, e posso mudar algumas coisas em algumas pessoas. Talvez outras pessoas me vejam fazendo isso e façam mesmo. É para isso que eu vivo. É este o significado da minha vida.

Robert Fulghum

E ai gostaram do texto? Me contem ai nos cometários. :)

Beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião sobre o post ;)