.

.
Mostrando postagens com marcador texto. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador texto. Mostrar todas as postagens

25 março 2018

Por que nos damos ao trabalho de viajar?


Olá Mochileiros! Tudo bem? O texto abaixo foi retirado do livro " Por que o bocejo é contagioso ? ", e explica de forma cientifica porém simples, o porque de nos darmos ao trabalho de viajar, o post sobre o porque do bocejo ser contagioso? e porque sentimos saudade? - que tem aqui no blog, vieram deste livro também; as resenhas do livro podem ser encontradas aqui e aqui.


Por que nos damos ao trabalho de viajar?

Os panfletos nas agências de viagens são lindos, com fotos maravilhosas. Dificilmente o pôr do sol no seu destino preferido será tão belo ao vivo quanto na brochura encerada. Florestas têm mosquitos; voos atrasam, barcas lotam, ônibus batem, aviões caem. Sua viagem tem tudo para dar errado.Por que, então, insistimos em fazer a coisa ao vivo, em vez de nos contentarmos com a memória das fotos perfeitas? Se podemos alimentar nosso cérebro com imagens tão lindas e perfeitas, já não é como se tivéssemos estado lá?

Acontece que, se não há outras experiencias a associar a ela, a imagem perfeita é apenas isso: uma imagem. Por isso sabemos a diferença entre o que é memória real e o que é imaginação. Por mais perfeita que pareça, a lembrança de uma foto num postal é uma evocação puramente visual, pobre em detalhes e em comparação a todas as evocações sensoriais, emocionais e contextuais de uma lembrança real vivida no mesmo lugar.


Por isso, ao voltar das sua férias, suas fotos podem não ser perfeitas como as do panfleto da agência (afinal, enquanto a sua é um instantâneo, um fotografo certamente labutou muitos dias para chegar à imagem digna de ser vendida como propaganda). Mas é a sua foto, um aide-mémoire, como dizem os franceses, que, para o seu cérebro (e os das pessoas que compartilharam a viagem com você), vem acompanhado de outras imagens, de risadas, palavras,refeições memoráveis, do calor do sol e do frescor da água, do abraço da pessoa querida em frente a um p^r do sol que a sua câmera se recusou a registrar. Nada se compara às lembranças das experiências reais, particulares ao seu cérebro - nem uma foto perfeita que outra pessoa tirou.

Me contém nos comentários o que acharam do texto. :)

Beijos!


09 janeiro 2016

Reflexões de ano novo


Oi Mochileiros,

Tudo bem ?

Como foi a virada de ano de vocês? Espero que boa. Feliz ano novo atrasado para vocês, e seja bem vindo 2016, e que venha com muitas coisas boas. O primeiro post do ano vai ser meio clichê, mas não completamente, pois nessa época do ano o que mais se vê são posts/vídeos sobre metas para 2016 e etc. Navegando por ai essa semana, li um texto muito interessante falando sobre o ano novo e esse sentimento de recomeço que sentimos, porém de uma forma mais reflexiva, não só desejando votos e coisas boas, e para abrir os posts de 2016 com chave de ouro trouxe ele para vocês.

Reflexões de ano novo


Todo mundo sempre costuma repetir: "Ano novo, vida nova". Mas até que ponto sabemos realmente medir o peso desta afirmação e a colocamos em prática? Se no ano que passou, você não conseguiu atingir suas metas, concretizar sonhos, acumulou mágoas e não superou desafios inesperados, agora é a hora de abrir as janelas da mente e do coração para o futuro. 

É importante captar mensagens externas e não esquecer de olhar para dentro de si porque o caminho para uma vida nova passa, impreterivelmente, por nosso universo interior. A mutação de seu momento atual, enfim, depende exclusivamente de você. Depende do seu trabalho mental, em acreditar e realizar. 

Nada, nem ninguém poderá fazer isso por você. A ajuda pode, sim, vir de fora, mas o impulso deve partir de você. Independentemente de sua situação atual. Em primeiro lugar, questione com honestidade: "Eu realmente quero mudar minha vida?" 

Se a sua resposta for afirmativa, então é hora de mexer-se porque o ano-novo está aí. Para que isto dê realmente certo, é necessário, antes de tudo, se permitir mudar. O próximo passo é derrubar aquelas barreiras internas tão prejudiciais, como o preconceito consigo próprio, o medo, a inveja e o rancor. E, não esqueça, o mundo ao seu redor apenas reflete o que você é. Feliz Ano Novo!

P.s: Não consegui encontrar o autor para dar os créditos, se alguém souber me avise, por favor.

Espero que o texto leve vocês a uma reflexão sobre a vida e a passagem de tempo e que vocês tenham gostado, me contém nós comentários como foi a virada de ano de vocês e quais são suas metas para 2016.

Beijos !



25 dezembro 2015

Feliz natal


Oi Mochileiros,

Tudo bem ?

Como vão as festas de vocês ? Espero que felizes e divertidas, trouxe para vocês um texto sobre o natal muito interessante, é uma carta ao Papai Noel com um teor de reflexão e tem uma mensagem muito bonita, espero que gostem e que tenham um natal maravilhoso.

Meu querido Papai Noel…,

Já faz tanto tempo que eu não escrevo para o senhor, não é? Mas hoje, meu bom velhinho, resolvi resgatar aquela criança de brilho nos olhos e o coração cheio de esperanças que ainda vive dentro de mim. Não sou mais aquela criança e meus pedidos mudaram um pouco, mas com certeza o senhor poderá me atender.

Eu gostaria de uma pequena caixa vermelha. Isso mesmo vermelha. Que represente a vida.

Para que eu quero essa caixa? Eu explico:

Dentro dela vou guardar todo o amor que eu tenho para dar. Toda a esperança que vive dentro de mim. Toda a saúde que eu possa ter…. Todo o carinho que eu tenho para distribuir.
Vou guardar também a compreensão,… ela está tão rara hoje em dia…. Guardarei também a solidariedade que é tão necessária. Guardarei todos os meus sonhos para que nenhum fuja entre os meus dedos. Nela vai caber também o meu sorriso para que eu possa ofertar aos amigos a quem tanto amo….

Vou guardar também todos os momentos felizes, pois não quero me esquecer de nenhum…. A minha gargalhada infantil…. A minha saudade, porque nela existe a prova do amor e de bons momentos. A confiança, pois sem ela não vivemos. A minha lealdade para que com ela possam contar. A felicidade… para que eu possa compartilhar. O brilho do meu olhar.

Nela também guardarei os meus desejos mais secretos para que um dia eles possam se realizar…. As lágrimas, pois elas também são de felicidade…. Todos os aprendizados que a vida me fez passar para que eu seja uma pessoa cada vez melhor….

O senhor deve estar se perguntando onde vou guardar essa caixinha… e eu lhe respondo:
Dentro do meu coração, pois de lá sei que ela jamais se perderá… e para sempre vai ficar.

Meu bom velhinho faça que com a chegada do Natal, a criança que cada um tem dentro de si nasça novamente…. Que o Menino Jesus nos abençoe e proteja.
A minha criança está viva… e cheia de sonhos a espera do meu pequeno milagre de Natal….

Espero que tenham gostado da mensagem e que tenham boas festas !

Beijos !

06 agosto 2015

Por que sentimos saudade ?


Oi Mochileiros,

Tudo bem ?

O texto abaixo foi retirado do livro " Por que o bocejo é contagioso ? ", e explica de forma cientifica e muito simples, o porque de sentirmos saudade, o post sobre o porque do bocejo ser contagioso que tem aqui no blog, veio desse livro também, no post eu resenhei o livro e coloquei a explicação sobre o bocejo (link).

Por que sentimos saudade ?

Porque nosso cérebro é capaz de evocar memorias de sensações e situações passadas e projetá-las para um futuro imaginado. Quando projetamos para o futuro situações associada a emoções negativas, como a tristeza de perder uma pessoa querida ou o medo de ser assaltado, sofremos estresse por antecipação e ficamos ansiosos. Essa ansiedade é muito importante, pois nós faz mudar nosso comportamento e tomar decisões que reduzem a chance de que a projeção desfavorável aconteça de fato.

Ao contrário, quando evocamos e projetamos para um futuro próximo - ou seja, desejamos - um reencontro com uma pessoa querida ou o retorno ao lugar aonde nós sentimos felizes e seguros, a ansiedade assume outra forma, chamada saudade: a ânsia de voltar a estar na companhia de uma pessoa ou em um lugar, alimentada pela possibilidade do reencontro.

Se não fosse a capacidade de usar a mesma região do cérebro que cuida de memórias passadas para lançá-las no futuro, evocar sensações passadas agradáveis daria apenas prazer, e não a ânsia, tantas vezes angustiante, de reviver aquelas sensações. Evocar a presença de um parente morto seria apenas uma lembrança boa, e não algo que nós leva as lágrimas. Essa deve ser a dor maior de perder uma pessoa querida: a certeza de que projeções para um futuro próximo de memória felizes com ela não  mais se tornarão realidade. Ao constatar a impossibilidade só resta ao cérebro...chorar.


E ai gostaram do texto ? Me contem ai nos comentários.  :)

Beijos!

05 agosto 2015

O espelho


Oi Mochileiros,

Tudo bem ?

Fiz um post aqui no blog um tempo atrás sobre o livro " Histórias para aquecer o coração dos adolescentes "(link), no qual falo sobre o livro e trago um dos textos da coletânea dele, relendo o livro esses dias, decidi compartilhar mais um dos textos.

O espelho

- Dr. Papaderos, qual significado da vida?
Seguiu - se a risada habitual e as pessoas se mexeram nas cadeiras, querendo ir embora.
Papaderos levantou a mão, silenciado a sala, e me olhou por um longo tempo, perguntando com os olhos se eu estava falando sério e vendo nos meus que eu estava.
- Vou responder à sua pergunta.
 Ele tirou a carteira do bolso da calça. pós a mão dentro da divisória de couro e pegou um espelho redondo bem pequeno, mais ou menos do tamanho de uma moeda de vinte e cinco centavos.
Disse então o seguinte:
- Quando eu era pequeno, durante a guerra, éramos muito pobres e vivíamos em um vilarejo distante. Certo dia, na estrada, encontrei os pedaços partido de um espelho. Uma motocicleta alemã tinha se acidentado naquele lugar.
- Tentei encontrar todos os pedaços e juntá-los, mas não era possível. Então guardei só o pedaço maior. Este aqui, que esfreguei em uma pedra, fazendo-o ficar redondo. Comecei a brincar com ele e fiquei fascinado ao descobrir que podia refletir a luz em lugares escuros, onde o sol nunca brilhava; em buracos profundos, fenda e armários. Aquilo virou um jogo para mim, levar luz aos lugares mais inacessíveis que conseguia encontrar.
- Guardei o espelhinho e, à medida que ia crescendo, eu o tirava do bolso nos momentos em que não estava fazendo nada e continuava com desafio do jogo. Quando virei homem, comecei a entender que aquilo não era só brincadeira de criança, mas uma metáfora para o que eu poderia fazer com minha vida. Acabei percebendo que não sou a luz ou a fonte de luz. Porque a luz - a verdade, a compreensão, o conhecimento - está ali e vai iluminar muitos lugares escuros se eu a refletir.
- Eu sou apenas o fragmento de um espelho do qual não conheço a forma nem toda finalidade. Mesmo assim, com o que tenho, posso refletir a luz nos lugares escuros deste mundo, sobretudo nos corações dos seres humanos, e posso mudar algumas coisas em algumas pessoas. Talvez outras pessoas me vejam fazendo isso e façam mesmo. É para isso que eu vivo. É este o significado da minha vida.

Robert Fulghum

E ai gostaram do texto? Me contem ai nos cometários. :)

Beijos!